PUNO

PUNO- PERÚ

Berço da cultura Tiahuanaco, uma das mais importantes da época pré hispânica e máxima expressão do antigo povo Aimara. É considerada a capital folclórica do Peru, caracteriza-se pelas suas belíssimas e variadas manifestações musicais, com mais de 3000 danças, entre elas, podemos mencionar como principais a Wifala de Asilo, dança quéchua que evoca o servinacuy o matrimonio de prova, o carnaval de Ichu  e a famosa Diablada, referente a luta entre o bem e o mal,  em homenagem a Virgem da Candelária.

 

Seu maior atrativo é o Lago Titicaca a 3810 msnm, o lago navegável mais alto do mundo, é habitat de aves como as parihuanas e de peixes como o carachi, o suche, a truta e o peixe rei e da totora (planta aquática que chega a medir 3 metros de altura). A totora é usada pelos Uros, como material de construção de viviendas e balsas.  

Aqui no Lago Titicaca encontramos as ilhas flutuantes dos Uros, são um povo que habita sobre aproximadamente 40 ilhas flutuantes feitas a base de totora(planta aquática) estas ilhas ocupam uma grão parte da Reserva Nacional do Titicaca, desde a Baia de Puno até a Peninsula de Capachica. Os Uros agrupam-se ao redor da máxima autoridade moral e religiosa de cada família: O avo. Dedicam-se praticamente a caca e a pesca e se destacam pela sua grande habilidade para trancar a totora, utilizada para a fabricação de balsas, vivendas e artesanato.

IlhaTaquile, uma ilha do Lago Tititcaca localizada a 35 km de Puno  por via lacustre, o maior atrativo são seus paisagens e terraços. Originalmente habitada pela cultura Pukara, que desenvolveu os primeiros terraços nas quais atualmente se cultivam batata, milho e quinua, depois foi então dominada pela cultura Tiahuanaco, apois foi dominada pelos Incas que trouxeram o Quechua.

Na ilha a forma de vida é em comunidade, todos se ajudam mutuamente nos trabalhos agrícolas, sua principal atividade desta ilha é a indústria têxtil com pecas de vestuário elaboradas pelos seus moradores mostram desenhos relacionados a vida cotidiana. As vestimentas são muito peculiares sendo que as mulheres sempre usam saia e uma espécie de chapéu negro na cabeça. Os homens com camisas brancas de manga cumprida e um colete preto. A cor do gorro na cabeça identifica se ele é casado ou solteiro e se usar chapéu negro sobre o gorro que significa que é uma autoridade na comunidade. 

Assim ismo não existe estrada, animais domésticos, carro, ou bicicleta, a eletricidade é só por painéis solares. É impressionante como ate hoje mantém seus costumes e tradições.

Ilha Amantani, situada a 40 km por via lacustre. Aqui podemos visitar sítios arqueológicos como a cova cemitério Chatajon e cerimônias como Pasallasca, onde todos os anos é venerada Mama Qocha, tem uma extensão de aproximadamente nove quilômetros quadrados. A flora do lugar se caracteriza pela presença de plantas arbustivas como a muña, kantuta, salvila e patamuña. Na ilha moram oito comunidades que se dedicam especialmente ao cultivo de batata, milho, oca, quinua, favas e ervilhas, seu artesanato mais representativo está constituído pelos têxteis e o talhado em rocha granítica. Entre seus atrativos naturais destacam-se dois mirantes na parte mais alta, de onde se pode apreciar o lago em toda sua extensão, bem como alguns restos pré-hispânicos, centros cerimoniais e um cemitério de múmias.

Sillustani, localizada exatamente a 34 quilômetros ao norte da cidade de Puno, e as margens da linda lagoa Umayo, encontramos enigmáticas chullpas, sepulcros pré-incaicos construídos pelos Collas, algumas dom mais de 12 metros de Altura. Eram destinadas para sepultar os personagens mais importantes desse povo, entre as mais importantes destam-se a Chulpa do Lagarto e o Intiwatana. Catalogada como uma das necrópoles mais importante do mundo.